top of page

Comunicação assertiva: a comunicação não violenta dos relacionamentos

Atualizado: 28 de mai.

A comunicação assertiva é um tema que estudo há alguns anos. O que tenho descoberto sobre a comunicação assertiva é que ela é a melhor forma de comunicação não violenta de todos os relacionamentos.


Trata-se da base essencial para relacionamentos mais saudáveis, e não há ser humano ainda na face da Terra que tenha nascido em uma família assertiva. A tendência é ou aprenderem a se comunicar de maneira mais passiva ou mais explosiva. O "caminho do meio" é a assertividade. Isso é aprendido (ou desenvolvido), principalmente com a psicoterapia.


No entanto, pode acontecer que as próximas gerações, fazendo terapia, possam ensinar seus filhos a se comunicarem mais assertivamente. Porém, isso ainda é uma conquista a ser alcançada. Afinal, é desafiador equilibrarmos emoções com discernimento ao nos comunicarmos com outras pessoas, principalmente quando se trata de intimidade.


O tipo de comunicação pode aproximar ou afastar as pessoas


Você sabia que a forma como você se comunica com o outro pode afastá-lo ou aproximá-lo de você? Pois é! O tipo de comunicação pode aproximar ou afastar as pessoas. Inclusive esse é um dos principais problemas que aparece no consultório de psicologia. Falhas de interpretação; não ditos; repressões pessoais por medo de se expor, seja para o parceiro ou para várias pessoas e/ou um padrão específico de pessoa. Não importa! As pessoas se comunicam da maneira como aprenderam. E não foi a melhor maneira.


casal brigando apontando o dedo um para o outro sem comunicação assertiva

O que mais vejo é a reprodução da violência na comunicação. As pessoas não têm paciência de conversar, explicar, argumentar. E, muitas vezes, deixam a emoção falar mais alto e partem para o ataque verbal: fazendo críticas para o outro, diminuindo o interlocutor para se sentirem melhores e nem percebem o que estão fazendo. A raiva é a emoção motivadora desse comportamento.


Outro comportamento comum é a manipulação (ou sedução). Isso mesmo! Sem perceber (ou percebendo também, isso depende do caráter), pessoas manipulam outras para conseguirem o que quer por não conseguirem ser diretas umas com as outras. Pais também fazem isso com os filhos. E isso não é saudável, pois é como os estão ensinando a se comunicar.


A coisa piora quando vemos famílias vivendo na base da violência doméstica. Filhos apanhando dos pais, a mulher apanhando do marido e vice-versa, e as diversas violências verbais e psicológicas. Isso reflete absurdamente no comportamentos desses filhos, que podem ou se reprimirem para sobreviver a esse meio nocivo e patológico, ou se rebelarem. Aí, já se repete o ciclo de comunicação violenta.


O corpo fala


No dia a dia, podemos analisar a comunicação de uma maneira global: o que se fala, o tom que se usa, a cadência da voz, os movimentos corporais e as expressões faciais. Tudo isso comunica. E saiba: inconscientemente. O corpo fala, literalmente, mesmo que você tente mentir.


E, se você mente, provavelmente, mente para você em primeiro lugar, tende a sofrer para guardar essas mentiras, e não vive sua vida com autenticidade e felicidade. Fora que, mesmo que as pessoas não entendam de linguagem corporal, elas sentem quando há não ditos ou mentiras. E é isso que gera afastamentos.


A não comunicação também pode ser perigosa


Também, o que mais se vê é deduções de situações não esclarecidas. As pessoas lançam suposições para uma determinada situação, não perguntam para a pessoa envolvida na hipótese o que aconteceu, coloca na cabeça que aquela dedução é verdadeira, sem checar os fatos, e se enrosca em inverdades, não dando a chance do outro se explicar ou fazer diferente o que quer que seja. A não comunicação também pode ser perigosa nesse sentido.


A melhor saída para tudo isso é a comunicação assertiva!


O que é comunicação assertiva?


Afinal, o que é comunicação assertiva? Ou o que é ser assertivo? Vejo muitas pessoas se equivocando até mesmo na escrita dessa palavra, a tratando como acerto, escrevendo com C. E está errado! Não existe a palavra "acertividade". Então, vamos ao conceito?


Eu costumo definir a comunicação assertiva para meus pacientes e nos cursos que já lecionei a respeito, como a síntese da palavra Respeito. Ela é o ponto de equilíbrio entre a grosseria e o desrespeito e a passividade (ou seja, não falar nada e engolir desconfortos).


No entanto, a comunicação assertiva exige técnicas, as quais são aprendidas tanto em terapia quanto em cursos específicos, como um curso que tenho no Hotmart. Mais pra frente volto para isso.


Também costumo definir a comunicação assertiva como sinônimo de comunicação não violenta, popularmente conhecida. Trata-se da capacidade de expressar pensamentos, sentimentos e opiniões de forma direta e compreensível, sem ser agressivo ou desrespeitoso.


Pilares da comunicação assertiva


Além do respeito, temos outros três pilares da comunicação assertiva: transparência, autenticidade e eficiência.


A regra é simples: é importante você usar de honestidade em todas as suas falas, manter a consistência do discurso e fazer isso de forma objetiva e empática. E quando eu falo de honestidade, é preciso também de honestidade íntima, com você mesmo (a). Afinal, não dá pra ser feliz vivendo de aparências. E isso exige autenticidade.


Eu trabalho bastante com a autenticidade dos meus pacientes. Por isso, a eficiência da comunicação assertiva acontece mais após as sessões de psicoterapia, desde que o terapeuta entenda as técnicas da comunicação assertiva. Fazer apenas curso não traz resultados efetivos (embora também ajude). Um complementa o outro, na verdade.


Técnicas da comunicação assertiva


As técnicas da comunicação assertiva são inúmeras. Todas utilizadas em sessões de psicoterapia, principalmente com pacientes que apresentam dificuldades nesta área, e também em meu curso sobre Comunicação Assertiva.


Vou dar uma pincelada em uma técnica básica para você, leitor deste post. Eu costumo chamá-la de fórmula matemática da comunicação assertiva para comunicar quaisquer desconfortos.


Quando se trata de falar do que incomoda, muitas pessoas erram na hora de se comunicar, então, lá vai a dica principal em formato de fórmula:


O QUE EU SINTO + SITUAÇÃO DESCONFORTÁVEL + O QUE GOSTARIA


Pode ter certeza de que se você usar essa técnica básica, não terá erro. Porém, é claro que precisará estar pronto para isso. Antes de se comunicar, precisa lidar sozinho com as próprias emoções, a fim de que não desconte nas outras pessoas.


Afinal, as suas emoções são responsabilidades somente suas, o outro não tem culpa do que você sente, mesmo que o outro tenha acionado gatilhos em você. Lembre-se: o outro não tem culpa principalmente porque não está dentro de você para saber do que você sabe sobre onde dói. Por isso é tão importante ser assertivo.


Quando você se comunica assertivamente, você faz bem para você e para o outro. Além disso, é uma forma de você colocar seus limites para o outro, e também dar a oportunidade do outro ser melhor enquanto pessoa e na interação com você. Dá a oportunidade desse outro ser diferente, e demonstra como funciona para você. Afinal, as pessoas são diferentes!


Para que a comunicação assertiva funcione de maneira efetiva, é importante você estar em dia com seu autocontrole emocional. Se não estiver, poderá perder a mão no momento da comunicação. Por isso, a necessidade de estar em dia com sua psicoterapia. Porém, é plenamente possível você testar essa técnica no seu dia a dia. Funciona!


Reforçamento positivo na comunicação assertiva


Da mesma forma, é extremamente importante, principalmente dentro de um relacionamento afetivo, o reforçamento positivo na comunicação assertiva.


Ou seja, você reforçar para o companheiro (a) tudo aquilo que você gosta nele (ou nela) e que você gostaria que ele (ou ela) fizesse cada vez mais. Exemplo: "Amor, adoro quando você me abraça assim!" ou "Amor, fico tão feliz quando você lava a louça!"


Pratique a comunicação assertiva no seu dia a dia!


Pratique a comunicação assertiva no seu dia a dia e você verá resultados em tempo real. Com essas poucas técnicas que te passei, você já conseguirá ver alguns resultados.


Meu convite adicional gratuito pra você é o formulário que montei especialmente por causa deste post a fim de que você possa treinar um pouco sua comunicação assertiva.




Porém, caso ainda sinta falta de algo a mais, tem meu curso sobre Comunicação Assertiva, onde passo várias outras técnicas, inclusive sobre a parte de oratória e autoconhecimento, a fim de que você possa se desenvolver de maneira mais completa em sua comunicação com as outras pessoas.




Caso você precise de ajuda profissional, mais especificamente, para tratar dos seus problemas de relacionamento por causa da sua comunicação, então, entre em contato comigo e agende sua sessão de terapia:

ícone do botão do whatsapp

Psicóloga Michelly A. Ribeiro

CRP-08/27324

(45) 99131-3177

Comentários


bottom of page